Projeto Data Center

CIO-SE 3 junho 2019 - 09:58

Ao longo da última década, a sala do Data Center da Universidade Federal de Sergipe (UFS) começou a apresentar problemas da infraestrutura. Segundo Dilton Dantas, coordenador de redes e infraestrutura, foram vários os problemas ao longo dos últimos anos como energia, climatização, infiltrações, segurança, entre outros. São falhas normais para estruturas com mais de dez anos de funcionamento. Para suprir a carência de sistemas e serviços de missão crítica, a Superintendência de Tecnologia da Informação (STI) e alta administração da UFS tomaram uma importante decisão: reestruturar seu parque tecnológico, criando um ambiente favorável para operações digitais contínuas e com a capacidade de manter os serviços da instituição ininterruptos para sua comunidade de mais de 33 mil pessoas, entre alunos, professores e técnicos.

Entendendo que a TI provê suporte eficiente ao negócio, a UFS investiu em torno de R$ 3 milhões em novos ativos – como um Data Center de Tier II -, por exemplo, permitindo à universidade trabalhar com disponibilidade 24×7. Para auxiliar no processo de construção dessa nova infraestrutura, a UFS contratou a Schneider Electric, que forneceu materiais e serviços levando a infraestrutura da UFS para outro patamar. Para Andrés Menéndez, superintendente de TI, a UFS alcançou outro nível tecnológico e se colocou, em termos de infraestrutura, em pé de igualdade com as melhores universidades do país.

No ambiente educacional, ter disponível uma infraestrutura de TI voltada à missão crítica é muito importante, ainda mais em uma instituição com a dimensão da UFS, que possui seis campi e dois hospitais universitários. Esse tipo de tecnologia, que visa a alta performance das operações de TI, é o que permite que os técnicos, professores e estudantes possam ter acesso aos conteúdos e serviços da universidade de onde quer que estejam 24h por dia.

Para reformular o parque tecnológico foram adquiridos oito containers acoplados. Quatro desses containers foram utilizados para alocar os técnicos da equipe de redes, três deles para o Data Center da UFS e um para Rede Nacional de Pesquisas (RNP), organização social vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia. A UFS implementou um projeto para a construção do novo Data Center composto por diversos equipamentos de tecnologia de alta disponibilidade e eficiência energética, que vão desde a alimentação de energia elétrica em média e baixa tensão com painéis elétricos gerenciáveis TTA à infraestrutura do próprio Data Center. Este modelo de implantação garantiu, para a equipe de infraestrutura, o gerenciamento de todos os ativos do Data Center de forma proativa e preventiva minimizando os riscos de interrupção de quedas de energia e sobrecarga de temperatura em seus equipamentos.

Hoje, além de maior disponibilidade de serviços digitais, a UFS conta com aumento da capacidade de armazenamento de informações e dados da universidade, entre outros benefícios. Com a entrada em produção desse projeto, a UFS passou a ter total controle e gerenciamento do ambiente de TI. A antigo Data Center ficava em uma sala comum com vários problemas, mas agora a universidade tem um novo espaço para ambientar os equipamentos de forma correta, o que os garante segurança e confiabilidade das operações, dados e ativos. Para Andrés Menéndez a UFS “conseguiu uma grande conquista pois, mesmo em tempos de restrições orçamentárias, foi feito um investimento que trará tranquilidade para manter as operações de TI funcionando pelos próximos dez anos”.