19ª Olimpíada Brasileira de Informática premia mais de 140 estudantes, em Sergipe

CIO-SE 7 maio 2018 - 15:27

Aos 15 anos e cursando o 1º ano do ensino médio, Brenda Figueiredo participa, pela quarta vez, da Olimpíada Brasileira de Informática (OBI). Ela afirma que o maior incentivador da sua participação em desafios locais, nacionais e, até, internacionais, é o próprio colégio. “Comecei pela categoria de Iniciação 2, onde peguei gosto por raciocínio lógico. Agora, surgiu a oportunidade de fazer Programação, nível mais avançado. Isso foi muito importante, porque foi definitivo pra decidir o que quero fazer: Programação, em Engenharia da Computação. Seria muito legal se houvesse mais estímulos, por meio de desafios como olimpíadas, para que mais pessoas possam se interessar, cada vez mais, por áreas de raciocínio lógico. É muito divertido!”, afirmou.

O sentimento de aprendizado aliado à diversão também é compartilhado por Tiago Lins, estudante do 1º ano do Ensino Médio. Aos 15 anos, é a quarta participação dele na OBI. “Este ano, estou sendo premiado na categoria Programação Júnior; mas já fui premiado, em anos anteriores, na Iniciação 1 e 2. O Colégio já tem um histórico de preparar os alunos para participarem de olimpíadas do conhecimento, ele é muito envolvido com a questão da tecnologia. Todos os anos, a gente faz a prova escrita e a escola dá infraestrutura para os alunos desenvolver a programação. A gente trabalha com a robótica educacional, com olimpíadas… que são coisas muito legais de aprender, onde podemos descobrir uma coisa que você gosta muito, como uma profissão. Foi nessas competições, por exemplo, que descobri que gosto muito das áreas de Engenharias, de Tecnologias, Ciências da Computação”, reconheceu.

Brenda e Tiago foram 2 dois dos mais de 140 estudantes sergipanos premiados na 19ª OBI. Dividida em três etapas (regional, nacional e internacional), a OBI visa despertar nos jovens estudantes do ensino fundamental, médio e superior, o interesse pela Ciência da Computação, envolvendo engenhosidade e raciocínio lógico, elementos essenciais para a solução de desafios. Além disso, a OBI também premia as instituições de ensino e professores destaques na competição no ano de 2017.

Promovida pela Sociedade Brasileira de Informática (SBC) e organizada pelo Instituto de Computação, da Universidade de Campinas (Unicamp), a OBI está em sua 19ª edição nacional. Em Sergipe, a Olimpíada está na 11ª edição e é realizada pela UFS (por meio do Departamento de Computação/DComp), em parceria com o Sergipe Parque Tecnológico (SergpeTec), a Associação de Gestores de TI do Estado de Sergipe (CIO-SE) e a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Sergipe (Fapitec).

Hélio Igor dos Santos, professor de Robótica do Colégio Coesi e delegado da OBI em Sergipe, explicou a importância de estimular, ensinando e preparando, os estudantes a buscarem por conhecimento, principalmente, de raciocínio lógico, desde a formação básica deles. “Nossa cultura de participação em olimpíadas já vem há alguns anos, desde 2008. Nós acreditarmos que a olimpíada é um grande instrumento de disseminação da Ciência e Tecnologia, da Engenharia e da Matemática. Nós preparamos os alunos, na parte da lógica, desde o 4º ano, para que eles se tornem aptos a disputarem pelas vagas, quando chegarem no ensino fundamental 2 [do 6º ao 9º ano], a participarem das olimpíadas de Informática, Robótica, Astronomia, Física e Química”, ressaltou.

De acordo com a professora Débora Maria Coelho Nascimento, do Dcomp/UFS e organizadora da OBI em Sergipe, em 2017, foram 5083 inscritos. “Destes, 143 foram premiados estaduais. O total de escolas participantes foi de 54, sendo 33 públicas, 19 particulares, 2 outras; 23 delas localizadas na capital e 31 no interior [o grande destaque foi para a cidade de Lagarto, com 24 escolas inscritas]. No estado, um total de 31 escolas foram premiadas. Em relação às premiações de Sergipe, em nível nacional, foram 30: 5 de prata, 14 de bronze e 11 honras ao mérito. E, em nível estadual, totalizaram 103: 12 de ouro, 17 de prata, 23 de bronze e 51 honras ao mérito”, enumerou.

A gestora de TI, Carla Almeida, parabenizou a organização da OBI e destacou que o Parque Tecnológico apoia a olimpíada, desde as primeiras edições, por entender que ações como essa são muito importantes para promover e motivar os jovens a serem futuros profissionais e empresários da área de Tecnologia.

“Parabéns a todos os envolvidos na OBI: alunos, professores, delegados e voluntários, em nome do presidente do SergipeTec, Manoel Hora. É fascinante saber e ver a participação, dedicação e empenho de vocês na olimpíada, durante todo o ano. E, melhor ainda, é saber que vocês fazem isso para aprenderem e se divertirem. Isso mostra que a gente, professores, profissionais e instituições da área de TI, está plantando a sementinha… para, quem sabe, no futuro, vocês serem nossos parceiros, uma vez que o SergipeTec atua na promoção e desenvolvimento de empresas de base tecnológica, as startups. Portanto, continuem aprendendo, participando, contribuindo… e, principalmente, divulgando, ainda mais, a OBI aos amigos, colegas, familiares, vizinhos, para envolvermos mais jovens talentos e ampliarmos nosso número de participação, em Sergipe e no Brasil, nas próximas edições. Parabéns, muito obrigada e contem conosco!”, parabenizou.

Categorias – Organizada em duas modalidades (Iniciação e Programação), em 2017, a OBI foi subdividida em: Iniciação Nível 1, Iniciação Nível 2, Programação Júnior, Programação Nível 1, Programação Nível 2 e Programação Universitária. A OBI é a competição classificatória para a Olimpíada Internacional de Informática (International Olympiad in Informatics/IOI), uma das maiores olimpíadas mundiais de ciência.

Fonte: Ascom/Sergipetec